Atividade econômica perde para o volume de impostos no 1º trimestre

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) anunciou ontem (03/06) que o crescimento do volume de impostos sobre produtos ultrapassou o ritmo da economia, conforme indicação dos dados sobre o Produto Interno Bruto (PIB). As informações são resultado de uma comparação feita entre o primeiro trimestre deste ano e o mesmo período de 2010.

De acordo com números do IBGE, a economia brasileira apresentou uma alta de 1,3% no primeiro trimestre (janeiro a março) de 2011 em relação aos três últimos meses do ano passado.

O IBGE anunciou ainda que, o valor adicionado a preços básicos – que representa o quanto as atividades econômicas “enriqueceram” a economia – teve crescimento de 3,8% nos primeiros três meses de 2011 na comparação com o mesmo período de 2010. Por outro lado, o volume de impostos sobre Produtos líquidos de Subsídios registrou aumento de 6,5% na mesma comparação. Juntando as estatísticas, pode-se dizer que o PIB apresentou uma expansão de 4,2%.

“Essa variação do volume dos Impostos sobre Produtos líquidos de Subsídios deve-se, principalmente, à expansão do volume das Importações de Bens e Serviços e da atividade de Intermediação financeira e seguros”, informou o IBGE em nota.

“Em termos reais, os impostos cresceram mais que o valor adicionado”, avaliou Rebeca Palis, gerente da Coordenação de Contas Nacionais do IBGE. Ela esclareceu que, nessa conta, entram apenas os impostos sobre produtos: “ICMS, IPI, ICMS, Cofins. Não tem Imposto de Renda, por exemplo”.

Em nota assinada pelo presidente da Associação Comercial de São Paulo, Rogério Amato, a entidade declarou que a expansão dos impostos “repete comportamento observado nos últimos anos, de a tributação crescer mais do que a economia”, e destacou ainda que o Impostômetro, medidor eletrônico de arrecadação tributária mantido em São Paulo pela Associação e pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), atingiu nesta semana a marca dos R$ 600 bilhões em impostos federais, estaduais e municipais pagos pelos brasileiros desde o começo do ano.

O setor agropecuário foi apontado com o principal destaque da economia em alta no primeiro trimestre, com crescimento de 3,3%. Os números reforçaram projeções de que 2011 será um bom ano para a agricultura.

Em janeiro, o Banco Central iniciou um ciclo de aperto monetário. A expectativa é de que o Comitê de Política Monetária (Copom) promova mais um aumento de 0,25 ponto no juro na semana que vem.

O Impostômetro atingiu nesta semana a marca dos R$ 600 bilhões em impostos federais, estaduais e municipais pagos pelos brasileiros desde o começo do ano

Anúncios
Esse post foi publicado em Textos do BH. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s