Ex-jogador Edmundo pode ser preso a qualquer momento

O ex-jogador de futebol Edmundo Alves de Souza Neto pode ser preso a qualquer momento. A informação foi dada pelo juiz Carlos Eduardo Carvalho, da Vara de Execuções Penais do Rio de Janeiro (VEP), na noite desta terça-feira (14/06). De acordo com o Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ), a defesa ainda pode recorrer da decisão.

Na opinião do juiz Carlos Eduardo, não é válida a argumentação da defesa do ex-jogador de prescrição do processo, em que Edmundo responde por um acidente de carro ocorrido na Lagoa, zona sul da cidade, na madrugada do dia 2 de dezembro de 1995. A acusação alega Edmundo deve ser responsabilizado pelos homicídios culposos de três pessoas. Além disso, o ex-jogador também é acusado de lesões corporais culposas em outras três vítimas envolvidas no acidente automobilístico.

Em março de 1999, Edmundo foi condenado pelo TJ-RJ a quatro anos e seis meses de prisão, em regime semiaberto. Na ocasião, os advogados do jogador tentaram recorrer, mas a 6ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio optou por manter a decisão, no dia 5 de outubro do mesmo ano. Edmundo chegou a ficar detido durante 24 horas.

Em seguida, a defesa conseguiu um habeas corpus que permitiu que ele recorresse em liberdade. Segundo informações do TJ-RJ, os advogados do jogador chegaram a recorrer a instâncias superiores, em Brasília. Entretanto, o Supremo Tribunal Federal (STF) manteve a condenação.

No entender do juiz Carlos Eduardo, a alegação da defesa, que se baseia na prescrição do caso, não procede. Por isso, ele expediu o mandado. De acordo com o TJ-RJ, em sua decisão, ele afirma que ainda não ocorreu o lapso temporal exigido pela lei.

Por outro lado, o advogado Arthur Lavigne, que representa o jogador, voltou a dizer que o processo prescreveu. Ele assegurou que, em maio de 2010, o Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) emitiu parecer reconhecendo a prescrição do caso. Lavigne declarou que vai entrar com um pedido de habeas corpus após analisar a decisão do juiz.

“Eu não tenho a menor dúvida de que esse processo está prescrito. O caso estava parado há um ano na Vara de Execuções. A primeira providência a tomar será justamente tomar conhecimento da decisão do juiz para poder impetrar um habeas corpus, o que deve acontecer amanhã (15). O Edmundo já está sabendo da decisão e aguarda as medidas”, explicou o advogado em entrevista ao portal de notícias G1.

Anúncios
Esse post foi publicado em Textos do BH. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s