Time de guerreiros é o Vasco

Em mais uma rodada eletrizante do Campeonato Brasileiro, o que não faltou, como já era de se esperar, foi emoção. Quando muitos corintianos já comemoravam o título, eis que um certo imponderável entrou em campo nos pés de Bernardo, do Vasco. É que o clássico carioca entre vascaínos e tricolores tinha influência direta na conquista antecipada do título em favor da equipe paulista, já que o Corinthians fez o seu dever, fora de casa, e bateu o Figueirense (0x1) – que nas duas últimas partidas disputadas no Orlando Scarpelli, não conquistou um ponto sequer.

Enquanto isso, no Rio, Vasco e Fluminense fizeram um duelo digno das duas melhores equipes do campeonato. De um lado o sempre perigoso e eficiente Fred; do outro, o cirúrgico e preciso zagueiro Dedé – merecidamente considerado por grande parte dos brasileiros o melhor de sua posição no País. Pelo Tricolor, estavam em campo ainda grandes jogadores como Mariano, Deco e Rafael Sóbis. No Vasco, o desfile de grandes nomes, também se fez presente com: Fernando Prass, Juninho Pernambucano, Felipe, Rômulo e Diego Souza.

Mas de protagonista, na partida disputada no Engenhão, somente Fred conseguiu arranjar um espaço e marcar um belo gol, depois de fazer falta clara em Renato Silva – zagueiro do Vasco. Fora isso, dois nomes, saídos do banco de reservas, fizeram a diferença em favor da equipe cruzmaltina e provaram que o Vasco é, no momento, o melhor elenco do Brasil. Alecsandro e Bernardo foram os verdadeiros heróis da dramática vitória do clube de São Januário e mantiveram o Trem Bala da Colina, com chances de conquistar o título brasileiro no fim de semana que vem.

Alecsandro e Diego Souza comemoram o primeiro gol da vitória vascaína / Imagem: Jorge Wiliam da Agência O Globo

Durante toda a partida, as equipes se alternaram com ótimas jogadas de ataque e, igualmente, também tiveram alguns descuidos decorrentes da importância e da tensão que o jogo representava. Para os dois lados, só a vitória interessava. O Fluminense, que teve uma excelente recuperação no segundo turno do Brasileirão, acertou uma bela bola na trave com Fred e o Vasco devolveu com outra de Élton.

Dando o tom da partida, muitas faltas. Juninho Pernambucano dando carrinhos e tentando chamar a responsabilidade para si, como capitão, acabou exagerando e tomou merecidamente um cartão amarelo que o tirou da próxima partida contra o Flamengo. Felipe, como sempre voou em campo. No time tricolor, quem continuou assustando foi Fred, mas Marquinhos e Deco, em algumas jogadas também levaram perigo.

Depois de um primeiro tempo muito tenso e bastante equilibrado, o segundo tempo começou com o Fluminense assustando mais. Rafael Sóbis, que até então andava sumido na partida, voltou a mostrar o seu bom futebol. O Vasco parecia cansado e, em certo momento, estava se preocupando mais em se defender que atacar. O Fluminense se aproveitou disso e partiu para o ataque.

Apesar de toda insistência e talento da equipe tricolor foi o Vasco que saiu na frente. Alecsandro, que havia acabado de entrar, usou seu velho oportunismo e mandou de cabeça a bola para o fundo das redes, aos 31 minutos. Como o Corinthians estava vencendo o Figueirense na partida de Florianópolis, quem saia da disputa pelo título era o clube das Laranjeiras.

Mas, como quem tem Fred, tem garantia de gol, o Fluminense foi para cima e começou a jogar em função do artilheiro. Não tardou para que, aos 38, o craque fizesse um belíssimo gol. O banco do Vasco foi à loucura, não tanto pelo gol e sim, pela maneira que foi, já que Renato Silva, que era o responsável por marcar Fred no lance que originou o empate tricolor, foi empurrado e o juiz não deu a falta.

A essa altura, o Corinthians comemorava no Scarpelli a vitória sobre o time catarinense e, com o tropeço do Vasco, se sagrava campeão brasileiro. Foi aí que, o imponderável – uma das grandes graças do futebol – se fez presente. Em belo cruzamento de Alecsandro, Bernardo tentou de cabeça na primeira e no rebote do goleiro Diego Cavalieri, marcou, aos 45, o gol da vitória cruzmaltina – que mantém o Vasco com esperanças de ser campeão.

À torcida do Fluminense restou se contentar com a vaga na Libertadores e a arrancada que o time teve na fase decisiva do Brasileiro. O time provou que, com o elenco atual e o comando do sempre competente Abel Braga, pode sonhar e fazer um belo papel na competição sulamericana no ano que vem. Já para os corintianos, ficou aquele gostinho amargo do ganhou, mas não levou. Pelo menos, por enquanto…

O interessante é que o mesmo gol nos últimos minutos que, no domingo passado, garantiu a vitória do Corinthians sobre o Atlético-MG (2×1), no Pacaembu lotado, desta vez, tirou das mãos do alvinegro paulista a chance de comemorar ainda hoje, o título nacional.

Time de guerreiros, era o que falavam do Fluminense. Mas, cá entre nós, não é para qualquer um ser campeão da Copa do Brasil, fazer um Brasileiro impecável e ainda estar vivo na Copa Sulamericana, disputando nada menos que uma vaga na final.

Tudo isso, num ano em que o Vasco começou com o pior início de temporada dos últimos tempos. Num ano em que, lamentavelmente, a equipe perdeu o seu técnico, Ricardo Gomes, para um problema de saúde, bem no meio das competições que disputava. Neste mesmo ano, o Vasco foi um dos times que mais teve jogadores contundidos, entre os que disputam as primeiras posições da Série A.

Contando com o jogo com o Fluminense, encerrado há pouco, o Vasco alcançou a marca de 71 partidas em 2011, ficando atrás somente do Ceará e do Santos, ambos com 74 partidas.

Para completar, em muitas ocasiões, especialmente no Brasileirão, a equipe comandada por Cristóvão Borges foi decisivamente prejudicada pela não marcação de pênaltis e a anulações equivocadas de alguns gols.

Mesmo com todos estes percalços, o Trem Bala da Colina, como o Vasco é carinhosamente chamado por sua torcida, continuou firme e forte em duas competições duríssimas como o Brasileiro e a Sulamericana. Enquanto isso, os concorrentes diretos, como o Corinthians, o Fluminense e o Flamengo, por exemplo, focavam em apenas uma competição.

É por essas e por outras que eu digo, ainda que não conquiste o Brasileiro e seja vice – para alegria dos flamenguistas – e perca a vaga na final da Sulamericana, o Vasco já cumpriu sua missão e marcou em sua história um dos anos mais vitoriosos dos últimos tempos.

Parabéns ao verdadeiro time de guerreiros!

Anúncios
Esse post foi publicado em Textos do BH. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s