Fúria de titãs: bate-boca entre Cameron e Sarkozy eleva a temperatura em reunião de cúpula da UE

O tempo esquentou nesta quinta-feira (08/12) em Bruxelas. É que durante uma reunião de cúpula da União Europeia, o prêmiê britânico, David Cameron, e o presidente da França, Nicolas Sarkozy bateram boca. O motivo: Cameron teria insinuado que o político francês tentou isolá-lo no decorrer das negociações para firmar um pacto de regulação financeira na zona do euro.

De acordo com o jornal The Guardian, Sarkozy teria declarado que o primeiro ministro do Reino Unido estaria trabalhando nos bastidores para evitar que o poderoso mercado de capitais britânico – conhecido como City londrina – fosse incluído nas medidas de austeridade monetária do Bloco.

O premiê britânico, David Cameron, e o presidente francês, Nicolas Sarkozy, discutiram em uma reunião a portas fechadas com a chanceler alemã, Angela Merkel - Imagem: Adrian Dennis - AFP

Para Cameron, no entanto, o Reino Unido teria se tornado uma espécie de “bode expiatório” da crise. O comentário, da autoridade britânica parece não ter sido muito bem digerido pelos principais líderes da UE, segundo o jornal, sendo Sarkozy o mais reativo.

Em depoimentos ao Guardian, alguns políticos franceses teriam se queixado à reportagem que estavam sozinhos na tentativa de fechar um acordo para impor regras fiscais mais duras na zona da moeda comum europeia.

Por outro lado, os ingleses afirmavam que tudo não passava de uma jogada política de Sarkozy para direcionar os holofotes para o posicionamento britânico que – de acordo com seus defensores – baseava-se única e exclusivamente em assegurar que as mudanças na união monetária não prejudicariam a City. Esta visão, de acordo com os próprios ingleses, não indicaria que o País não irá seguir as regras.

Ainda segundo o jornal, Cameron teria discutido com Sarkozy, em uma reunião a portas fechadas, da qual também fez parte a chanceler alemã, Angela Merkel. Os ânimos se afloraram pouco antes de os líderes dos 27 países da UE se encontrarem para um jantar no qual tentariam selar um pacto pela nova integração fiscal da região.

Fato é que a má impressão que o presidente francês tem – ou passou a ter – do premiê britânico é compartilhada por outras autoridades da zona do euro como a própria Merkel. Na opinião destas lideranças, Cameron estaria sendo muito inflexível para participar do pacto de austeridade. A campanha inglesa para obter uma recompensa que garanta a City londrina forte e segura tem sido vista com antipatia por boa parte dos governantes do bloco.

Na concepção do próprio Guardian, a troca de farpas seria apenas um aperitivo do momento tenso vivido por líderes europeus em busca de uma solução que tire a moeda comum da região da crise cada vez mais aguda.

O foco deste encontro está em definir se o Tratado de Lisboa será alterado e de que forma isso será feito. A reabertura do acordo teria como objetivo estabelecer um novo pacto de estabilidade para o euro, desta vez, mais rigoroso, com penalidades semi-automáticas para aqueles que não respeitarem as regra de controle fiscal; maior controle europeu sobre os orçamentos nacionais; e mudanças estruturais para consolidar a zona do euro como uma entidade mais poderosa.

Link da matéria do Guardianhttp://www.guardian.co.uk/business/2011/dec/08/david-cameron-nicolas-sarkozy-euro

Anúncios
Esse post foi publicado em Textos do BH. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s