Era uma vez um sonho de menino

Menino de 14 anos morre durante treino nas divisões de base do Vasco

Um dia após a morte do jovem W.J.V.S., de 14 anos, jogador das categorias de base do Vasco, o delegado responsável pela unidade de Itaguaí, Julio Cesar Vasconcelos, determinou que o centro de treinamento, onde o menino passou mal durante um treino pelo time sub-15 do clube, fosse investigado. O delegado assistente, André Bueno, já se dirigiu ao local para coletar informações e intimar pessoas a prestar depoimento.

“O Dr. André está a caminho do CT. Vai buscar mais informações e tentar falar com pessoas que estavam presentes no momento em que houve o incidente, treinadores, preparadores físicos. Quero que venham ainda hoje prestar depoimento na delegacia”, afirmou o delegado Vasconcelos.

O responsável pelo caso relatou também que já fez um pedido em caráter de urgência para o Instituto Médico Legal solicitando a liberação do exame de necropsia. “Acredito que até o meio da semana que vem já terei esse laudo”, comentou o delegado.

Entenda como tudo aconteceu

O jovem W.J.V.S. passou mal por volta das 09h30 de quinta-feira (09/02) – meia hora depois do início do treinamento – e não resistiu. De acordo com a caseira do terreno onde fica o CT, o menino desmaiou no campo e foi acometido por uma convulsão. Ainda segundo ela, ele foi imediatamente levado a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) mais próxima pelo técnico da equipe, em seu carro particular.

Em depoimento, o assessor especial da vice-presidência médica do Vasco, Romulo Capello Teixeira, confirmou a versão de que o menino foi atendido na UPA de Itaguaí, mas já chegou morto ao local.

O treino de ontem era o segundo teste do adolescente na categoria, comandada pelo ex-lateral-esquerdo cruzmaltino, Cássio. O jovem chegou ao clube por indicação de outro ex-jogador do Vasco, Marco Aurélio Ayupe, técnico de uma escolhinha do time, situada em São João Nepomuceno (MG), cidade de origem do rapaz.

Com informações do Netvasco

Nota editorial:

Apenas o que se lamenta é que, ao contrário do que tem sido dito, muitas testemunhas já afirmaram não haver sequer um médico no local para socorrer o rapaz. Fatalidade ou não, saúde é coisa séria e o Vasco, como um dos grandes do futebol brasileiro, parece não ter aprendido com casos como o do jogador Serginho, do São Caetano, e tantos outros mundo afora.

Já é hora de se oferecer uma estrutura melhor para as categorias de base. Não posso falar dos outros times, pois estaria generalizando, mas, casos como esse, são preocupantes, especialmente, se notarmos que até o momento, o presidente do clube, Roberto Dinamite, uma figura tão idolatrada por todos, pouco falou a respeito do caso. Ele apenas lamentou o ocorrido.

Será que é preciso esperar acontecer para depois lamentar ou tomar providências? Se tomar? Por falar em lamentar, é lastimável o estado da condução que os jogadores da base do Vasco utilizam. Vejam só o vídeo, no link entre parênteses (Estado lamentável de um ônibus da divisão de base do Vasco).

É presidente, assim fica difícil acreditar que o Gigante da Colina esteja realmente honrando seu passado de glórias.

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Textos do BH. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s